sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Sobre Gente Grande 2 e o Maldito Adam Sandler

Esta semana o cinema teve poucas estreias interessantes, e nada muito chamativo. Ah espere, estreou Gente Grande 2. Continuação da comédia de 2011 produzida e escrita por Adam Sandler, que promete ter uma bilheteria bastante lucrativa.

Agora para começar, eu gostaria de dizer que não assistirei ao filme. Não irei pagar um ingresso para assisti-lo no cinema, não irei assisti-lo quando chegar em dvd/blu ray e também não assistirei quando estiver passando na televisão. Por que? Eu detesto Adam Sandler. Esse é o principal motivo.

O comediante começou muito bem em esquetes do Saturday Night Live (ele fazia o clássico quadro do Ópera Man), e começou fazendo comédias idiotas. Temos aí Little Nicky, O Garoto da Água, A Herança de Mr Deeds, Click, Tratamento de Choque, Esse é O Meu Garoto, Cada Um Tem a Gêmea Que Merece, entre outros filmes "maravilhosos".

Agora entendam, Adam Sandler não é engraçado. Os seus filmes tentam fazer graça com escatologia, todos tem piadas com coisas muito interessantes: Peidos, arrotos, cuspes, piadas de mal gosto (muitas vezes envolvendo deficientes mentais). E todos os seus filmes tem uma mesma fórmula, que irei expor agora:

O personagem de Adam Sandler se considera legal e controlado, mas o resto do mundo o considera estranho/mal humorado/estressado/trabalhador e resolvem ajuda-lo. Isso gera diversas confusões, mas ao final o personagem aprende sua lição e se dá bem (sempre termina rico, sempre termina com uma gostosa ao seu lado).


Coincidência? Na verdade não. O ator é também produtor e roteirista de seus filmes, ele quem financia e cria as histórias. Ou seja, a culpa é toda dele mesmo.

Se você é fã de filmes como Click, creio que este não seja um blog para você. Sou um auto declarado hater de Adam Sandler. Um dos piores, mais nojentos, mais irritantes, comediantes de Hollywood. Não teremos crítica de Gente Grande 2, e nenhum de seus filmes. Exceto, Embriagado de Amor. Que é dirigido e escrito por Paul Thomas Anderson. Um gênio, coisa que Adam Sandler não é.