domingo, 26 de maio de 2013

Critica: Velozes e Furiosos 6





A franquia Velozes e Furiosos começou como um simples filme adolescente, sobre caras que roubavam carros, apostavam rachas, que pegavam mulheres vadias, enquanto fugiam da policia. A partir do 5o filme, a série ganhou uma aura de Filme de Assalto. Ou seja, menos corridas ilegais e mais crimes e policia.
O que vale dizer, deu mais qualidade a série. Por mais que ela continuasse absurdamente inverosímel, absurdamente clichê e extremamente machista.  Além de quebrarem todas as leis da física em menos de 2 horas.

Velozes e Furiosos 6 não é uma obra prima do cinema, nem mesmo uma revolução na franquia. O filme segue a mesma linha do último capítulo (Velozes e Furiosos Rio), e parece muito mais um filme policial do que de corrida. A única diferença que este tem dos outros filmes da franquia, é fato de ter um olhar nostálgico pro passado. Mais especificamente, para o 1o filme. Assim, tenho certeza que os fãs irão adorar Velozes e Furiosos 6, a ponto de alguns até mesmo se emocionarem em certas cenas (sim, os caras encheram o filme de referências).

Porém para quem não é fã da franquia, sabe um pouco de física, sabe identificar más atuações, Velozes e Furiosos 6 não passará de um filme idiota com boas sequências de ação.




O filme começa com uma sequência de créditos que recapitula os "grandes momentos" da franquia, que fará com que os fãs vibrem (haviam três adolescentes atrás de mim que só faltavam aplaudir). E logo vemos os personagens aproveitando o dinheiro que conseguiram no Rio de Janeiro (alerta de esteriótipo:Todas vez que o Rio surge num diálogo, vem em forma de cidade louca, como por exemplo "Meu Deus cara, o que foi aquilo? Isso é loucura. Aqui é Londres, não a porra do Rio de Janeiro").

Porém, a onda de calmaria acaba quando Hobbs (The Rock, absurdamente grande, creio que frequentar academia 24 horas por dia, 7 dias por semana, não deve deixar alguém naquele tamanho, mas tudo bem) pede ajuda a Dominic Toretto (Vin Diesel) e gangue , para capturar uma gangue idêntica a sua. O brucutu careca, até poderia recusar, porém a missão tem um atrativo:Letty (Michelle Rodriguez, a latina durona gostosa de Hollywood, favorita de todos) parece que voltou dos mortos. Agora, a coisa é pessoal.




Como vocês podem ver, a trama não tem nada que já não tenha sido mostrada centenas de vezes antes no cinema, e de fato não adicionará nada em sua vida. Porém, se você gosta de cenas de ação surtadas, Velozes e Furiosos 6 é o filme pra você.

Com saudade das perseguições dos filmes de 007 com Roger Moore (no qual o agente secreto, andava sobre crocodilos, e ao cair num rio de Salvador, vai parar no Rio de Janeiro)? Com saudade de quebrar as leis da física? Tenho boas noticias! Velozes e Furiosos 6 te fará sorrir.
Há inúmeras boas cenas de ação no filme, com destaque para a que se passa num aeroporto (no qual a pista de voo parece ter 200 quilometros, mas tudo bem, pra que coerência, não?).

Se você é um machão que não gosta de expressar emoções, mas que ainda assim tem um coração apaixonado e não sabe como falar com sua paixão, veja Vin Diesel se declarando pra Michelle Rodriguez! Nem o roteirista de Closer conseguiria se sair melhor (cof, cof),num diálogo tão incrível (cof, cof) e tão....clichê.





Agora deixando de lado o tom de brincadeira, o filme realmente tem boas sequências de ação, e as vezes é realmente divertido. Porém, tem muita coisa que atrapalha a experiência de se assistir o filme. Os diálogos clichês, as terríveis atuações (Paul Walker, meu amigo, você poderia ser o Spock, sua face não consegue expressar emoções).

Não tenho problemas com filmes de ação, muito menos os surtados. Adoro a franquia Duro de Matar por exemplo (no 4o filme, se vocês se lembram bem, o protagonista acaba com um avião jogando um carro na sua direção, quer algo mais impossível que isso?). Mas Velozes e Furiosos acaba com a paciência.

Mesmo assim, se você é fã da franquia, irá adorar o filme. Há diversos momentos que o farão lembrar dos filmes antigos, muito humor, muitos carros, muitas gostosas sem cérebro. Para quem como eu, não gosta:Vá alugar um filme da série Duro de Matar. E como diria John Mc Clane, o protagonista da franquia: "Yippie Kay Yay, Motherfucker".

Nota:6,0