sábado, 27 de abril de 2013

Critica: Homem de Ferro 3



Na cena em que a casa de Tony Stark(Robert Downey Jr) é atacada pelos helicópteros do Mandarim(vale dizer, que é uma cena já conhecida pelo público, devido aos trailers), após o primeiro missel ser disparado e acertar o alvo, Tony e Pepper (a namorada do herói, interpretada por Gwyneth Patrow) são arremessados para trás. Tony anteriormente, já havia desenvolvido a armadura que é controlada pela sua mente. Pensamos que o herói vai mandar a armadura vir para seu corpo, para assim poder revidar contra o helicóptero.

Porém isso não acontece, a armadura vai para Pepper. Tony Stark não está mais preocupado com a morte, se for para morrer:Que seja. Porém, não irá morrer sem antes proteger aquilo que mais ama. Assim, Pepper não se machuca porque o impacto é absorvido pela armadura. Já Tony, se machuca muito.

A cena mostra bem o estado de espírito de Tony no filme. O Homem de Ferro está abalado devido ao que viu no Buraco de Minhoca em Os Vingadores. Viu deuses, alienigenas, quase morreu. Não se sente seguro, e pela primeira vez sente medo. Uma grande diferença, se lembrarmos do Tony Stark de Homem de Ferro 2 que dizia que todo perigo que os Estados Unidos enfrentassem, iria enfrentar sozinho sem a ajuda de ninguém. Tony Stark está com medo, e tendo crises de ansiedade.

Esta evolução do personagem é a coisa mais interessante de Homem de Ferro 3. Filme que apesar de ser o mais fraco dos filmes do herói, ainda traz boas cenas de ação e o carisma de um dos melhores personagens da Marvel.



Para começar:Não, não é um filme sombrio como os trailers pareciam mostrar. Há uma espécie de queda do personagem, porém esta ainda é recheada do bom humor dos outros filmes da Marvel. Não espere um filme trágico como os da trilogia do Cavaleiro das Trevas dirigida por Christopher Nolan.
A única diferença entre Homem de Ferro 3 e os outros filmes do Homem de Ferro é que neste, o protagonista apanha mais, sente medo (e dor), está perdido. Está mais humano. Sentimos pena de Tony Stark em diversos momentos. Poucos atores conseguiriam fazer com que ríamos e sintamos pena de alguém, como Robert Downey Jr faz quando o herói tem suas crises de ansiedade.

Outro ponto excelente no filme, são suas cenas de ação. Em uma escala muito maior do que em todos os outros filmes, algumas até surtadas (o que dizer da última grande cena de ação do filme, na qual mais de 20 armaduras voam e lutam?). Outras porém, conseguindo deixar o espectador tenso. Como é o caso, da famosa cena em que os helicópteros atacam a casa de Tony Stark (uma leve homenagem a Apocalypse Now, nesta cena).

Ainda assim, é necessário dizer que o filme é o mais fraco da franquia Homem de Ferro. Contando com inúmeros furos, uma falta de lógica em diversas cenas, algumas reviravoltas estranhas (contradizendo certas coisas estabelecidas no 1o filme).

Um dos deméritos do filme, acreditem ou não, é a quantidade de piadas que são soltadas ao longo da narrativa. A quantidade é tão grande, que em certos momentos parece que estamos assistindo a uma comédia pastelão. O que dizer do personagem que é tão fã do Homem de Ferro, que tem o rosto do herói tatuado no braço?

Não dá para se levar a sério um filme com reviravoltas inverossímeis, piadas o tempo todo (apesar de muitas, serem muito engraçadas, destaque para uma proferida pelo garoto coadjuvante), e uma ação sem muita presença da física.

Há uma novidade em relação aos filmes anteriores:Agora o herói pode controlar partes da sua armadura pela mente. Assim, se está na rua, pode pedir que partes da armadura venham até seu corpo. E está pronto para a ação. Porém, se analisarmos bem:Um pedaço de ferro de 5 quilos vindo em direção ao seu rosto (o capacete) numa velocidade absurdamente alta, deve doer muito. Porém, o herói parece feito de borracha:Pois não sente nenhuma dor.

Claro que, é pedir muito para a física atuar de forma correta nos filmes de super herói. Porém, num filme com um roteiro sem tantos furos com certeza ignoraríamos estes erros. O que não acontece por aqui. Além de mais uma vez possuir problemas com o vilão (algumas coisas envolvendo o Mandarim, e com o personagem de Guy Pearce:Mais um vilão sem expressão, que só serve para soltar fogo pela boca)


Homem de Ferro 3 com certeza irá agradar aos fãs do herói (meus amigos por exemplo, amaram o filme), porém para os que esperam um filme no estilo do 1o longa da franquia (uma boa mistura de humor, tom cartunesco, um leve tom de realidade) com certeza irão se decepcionar um pouco com a produção.

Não que Homem de Ferro 3 seja ruim, mas se continuar nesse ritmo, acho que é melhor aposentar o herói. Antes que suas aventuras se enferrujam (eu tentei, juro, não fazer este trocadilho).

Nota: 6,5