quarta-feira, 27 de março de 2013

Homenagem: 50 Anos de Quentin Tarantino



Hoje o cineasta Quentin Tarantino faz 50 anos. O diretor americano fez um número relativamente curto de filmes, que porém exibem uma característica fascinante:Todas as produções são obras de qualidade. Todas valem ser assistidas.

Por isso é difícil fazer uma lista dos 5 melhores filmes do mestre (não, ele não é o meu diretor favorito mesmo assim é parte fundamental deste blog). São tantos filmes bons, que deixar um de lado dói na alma de qualquer cinéfilo. Falarei então de 5 melhores filmes de Quentin "Fucking" Tarantino.


Pulp Fiction:
Após fazer Cães de Aluguel, Tarantino foi para Amsterdã a fim de começar o roteiro de Pulp Fiction. Que podemos dizer com firmeza ser a melhor obra do diretor. Exibindo seu magnífico roteiro, sua direção competente, atuações inspiradas Pulp Fiction foi um marco para o cinema. Quase criando um novo gênero (filmes como RockNRolla, Snatch, 2 Coelhos nunca teriam sido feitos sem antes ter surgido Pulp Fiction). Pulp Fiction é uma das mais agradáveis experiências cinematográficas que alguém pode ter.



Bastardos Inglórios:
Tarantino aqui mostra o ponto final nos filmes de 2a Guerra feitos por Hollywood. Geralmente tais produções são feitas para fazer o público chorar, o filme receber várias indicações ao Oscar etc. Tarantino não só cria um filme divertido, como também cria um dos melhores vilões de todos os feitos (o espetacular Coronel Hans Landa, interpretado por Christoph Waltz) e ainda por cima distorce os fatos históricos da 2a Guerra! Não é qualquer um que faz isso, tão pouco criar a 1a cena do filme:Um dos diálogos mais tensos da história do cinema, aonde Hans Landa interroga um fazendeiro.
Quase um western spaghetti (o diretor usa músicas de Ennio Morricone na trilha sonora) travestido de filme de guerra:Sensacional.


Jackie Brown:
Talvez o trabalho mais maduro do diretor, Jackie Brown serviu para mostrar ao mundo que Tarantino não é simplesmente um cineasta que simplesmente cria tramas violentas, acrescenta bons diálogos  e referências a cultura pop (como muitos jovens, inclusive hoje, taxam o cineasta). Exibindo uma trama madura, um direção espetacular (mostrando por exemplo a mesma cena por três diferentes pontos de vista, que acabaria usando novamente em A Prova de Morte), atuações excelentes (que não precisam ser exageradas, coisa que muita gente julga ser o principal em uma atuação boa) Jackie Brown ainda faz uma homenagem aos filmes de Blackexploitation (filmes de péssima qualidade, com muita violência, e sexo). Nada mais justo do que chamar a principal musa do gênero para a ser a protagonista do filme:Pam Grier. Um excelente filme, só rivalizando com Pulp Fiction.


Kill Bill:

Kill Bill surgiu após Jackie Brown. Exatos 9 anos após a homenagem aos filmes blackexploitation, Kill Bill surgiu homenageando os filmes de Kung Fu dos anos 70 e os Westerns Spaghettis. Criando uma trama digna de um filme de ação sobre vingança protagonizada por Bruce Lee, Kill Bill é um espetáculo visual. Misturando animação, câmera PB, câmera na mão (tudo banhado com muitos litros de sangue) Kill Bill é um dos mais divertidos filmes do diretor. Mesmo sendo dois volumes, considero tudo como se fosse um só filme.



Django Livre:

Uma hora ou outra Tarantino faria uma homenagem aos Westerns Spaghetti de Sergio Leone, gênero que adora. Acrescentando uma trama digna de um filme blackexploitation, atuações impecáveis (Christoph Waltz ganhou mais Oscar devido a um papel escrito pelo diretor), vários litros de sangue falso (um dos faroestes mais violentos de toda a história) e maturidade (a perspectiva da escravidão) Django Livre foi um dos melhores filmes de 2012, e merece estar na lista.



Esta foi a lista, espero que Tarantino ainda faça muito mais filmes, e que ainda traga muitas experiências numa sala de cinema, que como ele mesmo descreve "Uma sessão de filme do caralho". Até agora, o diretor tem cumprido suas promessas.