quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Crítica (Lauro): Batman O Cavaleiro das Trevas Ressurge




Batman foi a razão pela qual eu comecei a gostar de cinema. Sempre que faço essa revelação, as pessoas não acreditam, pensam que estou brincando. Porém garanto: é a mais pura verdade. Quando
comecei a ler os quadrinhos do homem morcego, logo fiquei interessado nos filmes do personagem. Assim, comecei a pesquisar na internet sobre eles. E me deparei com um site chamado Adoro Cinema. Assim, além de pesquisar sobre os filmes do herói, eu logo comecei a procurar por outras informações. Logo, o apego que tenho com o personagem é muito grande.

Após os dois primeiros filmes (Batman Begins e Batman O Cavaleiro das Trevas) a expectativa sobre o novo filme do Homem-Morcego era imensa. Mais especificamente após o 2o filme da trilogia, que é absurdamente bom. Com um filme denso, mais sombrio, com um vilão assustador (Heath Ledger um ator que merecia muito mais), e um final impactante a pergunta que não queria calar:  será que o novo filme do Batman conseguiria ser melhor que o último?

O Cavaleiro das Trevas Ressurge é um encerramento a trilogia de Christopher Nolan. A trama tem elementos tanto de Batman Begins, quanto de O Cavaleiro das Trevas. O filme é um "acerto de contas". Na trama, Batman (Christian Bale) não aparece há pelo menos 8 anos. Mas o surgimento de um terrorista com nome Bane (Tom Hardy) faz com que o cavaleiro das trevas ressurja.

É impossível dizer a trama de O Cavaleiro das Trevas Ressurge por completo. O filme possui uma riqueza de temas, que tanto abordam toda a trajetória do personagem nos quadrinhos, quanto abordam a jornada do herói (que está presente em diversos filmes: De Volta Para o Futuro, Matrix, Star Wars, só pra citar alguns). Alguns deles tentarei comentar na crítica, porém terei que dizer alguns spoilers. Irei avisar quando eles surgirem, por isso atenção a marcação SPOILER nas futuras linhas lidas. Por hora, apenas alguns aspectos técnicos.

Christopher Nolan amadureceu muito como diretor. Enquanto em Batman Begins o inglês tinha o defeito de explicar demais algumas coisas (tudo é muito mastigado, feito para o público americano), O Cavaleiro das Trevas Ressurge é muito mais sútil. Por ser o 3o filme da trilogia, diversos elementos já são conhecidos pelo público. Não há necessidade de mostrar um novo apetrecho detalhadamente (o máximo que temos é o personagem de Morgan Freeman comentando o nome do "bat-brinquedo" mais recente). O diretor ainda merece respeito por optar não lançar o filme em 3d. Sabendo que o resultado de um filme convertido (e não filmado com cameras 3d, como o caso do maravilhoso Hugo Cabret, melhor 3d de todos) seria ruim.

O elenco do filme só contribui pro resultado final. Apesar de é claro, não haver um destaque que roube cena como Heath Ledger e seu Coringa. Os que se saem melhor são Christian Bale, Tom Hardy e Michael Caine. Respectivamente com seus Bruce Wayne/ Batman, Bane e Alfred.

Comecemos por Alfred, o mordomo da familia Wayne. Enquanto nos filmes anteriores o personagem servia mais como um elemento cômico (e não possuía tantas motivações evidentes), em O Cavaleiro das Trevas Ressurge o personagem finalmente mostrou sua verdadeira faceta. Alfred é como Bruce Wayne um homem solitário. Assim como Bruce só tem Alfred, este só tem seu patrão Wayne. Alfred ama Bruce como se fosse seu filho. Prometeu para si mesmo proteger Bruce da forma que puder, e com o surgimento de Bane vê que esta missão esta cada vez mais difícil de ser feita. Michael Caine mostra bem os dois lados de Alfred:Sua voz passa de firme(quando está ajudando Bruce com informações, ou equipamentos) para frágil (quando enfim confessa para Bruce a respeito da carta de Rachel Dowes, falecida em O Cavaleiro das Trevas).

Já Bruce Wayne é um caso mais complexo ainda. Está 8 anos sem aparecer na cidade, tanto como o playboy milionário, quanto como o Homem-Morcego. E é interessante quando enfim o personagem surge no filme, quando Selina Kyle (Anne Hathaway) tenta roubar o colar de pérolas pertecente a mãe de Wayne. O tom de voz, o jeito de andar (que lembra o de um ex lutador, caído como se estivesse esperando por um anjo que o trouxesse de volta aos tempos de glória), a expressão facial (idêntica a descrição feita pelo personagem de Joseph Gordon Levitt, o policial John Blake) tudo é característico do Batman. Pois aquele é o verdadeira identidade secreta. Há quem pense que Bruce Wayne esconde ser o Batman, mas é justamente o contrário. A verdadeira máscara é Bruce Wayne.

Christian Bale merece um destaque a parte. A sua melhor performance como Batman está O Cavaleiro das Trevas Ressurge. O ator procurou inspiração no começo da Graphic Novel O Cavaleiro das Trevas (no qual um Bruce Wayne com 55 anos volta a ser o Batman após mais de 10 anos), de Frank Miller. Um Bruce Wayne mais ressentido, mais maduro e mais frustrado surge em cena. Se nos outros filmes, o ator deixava o seu to mde voz normal (característico de Bruce Wayne) nas cenas em que conversava com Alfred, dessa vez assume a voz do Cavaleiro das Trevas mesmo nos momentos mais íntimos. Nisso inclui-se pessoas que sabem que Wayne é o Batman.

Mas é claro que o filme não estaria completo sem Bane. Interpretado por Tom Hardy, Bane é completamente o oposto do Coringa. Enquanto o personagem de Heath Ledger queria trazer o caos pra Gotham (note por exemplo que o caos é brilhantemente exemplificado na maquiagem do personagem, toda borrada), Bane quer trazer dor para Gotham City (outro personagem que seu design reflete muito do personagem, sendo que sua máscara serve justamente pra aliviar a dor). O vilão poderia muito bem cair no clichê de ser apenas um brutamontes burro, que só serve para obedecer ordens (como foi no horrendo filme de Joel Schumacher Batman e Robin). Mas o Bane de O Cavaleiro das Trevas Ressurge é justamente o contrário. Com sua voz rouca e calma(interessante o contraste entre as vozes de Bane e Batman) Bane é um vilão memorável. Que só peca por não possuir o carisma do Coringa de Heath Ledger.

O resto do elenco é muito competente. Anne Hathaway faz uma Mulher Gato realista e bem feita (um pouco mais humana que a personagem dos quadrinhos, mas tudo bem), Joseph Gordon Levitt vai se mostrando cada vez mais um excelente ator (o seu personagem é muito bem construído e rende uma das melhores cenas do filme, na qual confronta Bruce Wayne em sua mansão), Gary Oldman se sai bem(apesar de ter menos envolvimento que nos outros filmes).

Agora se me dão licença, o momento com SPOILERS:3, 2, 1.:
 O filme ainda traz uma metafora interessante para o herói. O ressurge pode ser tanto para a sua volta 8 anos depois de O Cavaleiro das Trevas, para a sua volta após ter a coluna quebrada por Bane (cena incrível aliás), ou então para o final do filme. Que indica que o personagem John Blake (que é na verdade uma espécie de Robin) irá assumir o pano do morcego, após Bruce Wayne sair de cena.

O que leva a um ponto negativo do filme:Miranda Tate/Talia Al Ghul (Marion Cottilard). Parece que ser personagem só surgiu para o famoso plot twist dos filmes de Christopher Nolan. Seu personagem dura muito pouco, não diz para o que veio e ainda por cima era umas das constatações mais óbvias feitas pelos fãs (eu incluso), ao se assistir aos trailers do filme.

Se o filme continuasse como o principal vilão Bane (que tem um final decepcionante), se sairia melhor resolvido. Tudo bem que serve como elo para dar um fim para Ras Al Ghul(e sua liga das Sombras, da qual Bane era membro). Mesmo assim dispensavel.
FIM DOS SPOILERS

O Cavaleiro das Trevas Ressurge é um encerramento digno a trilogia, e ao personagem. Servindo como o fechamento de um ciclo (iniciado 7 anos atrás), e o começo de um novo. Ao terminar a sessão ninguém aplaudiu (eu tive muita vontade), o que talvez mostre como as pessoas ainda precisam perder um pouco a vergonha (mesmo quando um excelente filme acabou de ser exibido). Um amigo meu me perguntou alguns minutos após a sessão: É melhor que o filme com o Coringa? Eu garanto: Ele mantem a qualidade.

Nota: 8,5