sábado, 30 de junho de 2012

Crítica: Prometheus



Prometheus era um dos filmes mais aguardados do ano. Um dos que mais prometiam (com perdão do trocadilho), afinal não é todo dia que Ridley Scott (ninguém menos que diretor de Blade Runner e Alien O Oitavo Passageiro) volta ao gênero que o consagrou. Um retorno ao universo da franquia Alien, que possui muitos fãs. Os trailers, cartazes, videos virais, deixavam os fãs em estado de extase. Será que um filme decente de Alien seria feito novamente (após os péssimos Alien Vs Predador 1 e 2 todos se desesperavam)? Ao meu ver a resposta é não. Prometheus é um filme que não quer se relacionar com Alien, mas que o utiliza como trunfo. E isso não é nada bom.

O filme segue uma estrutura parecida com a de Alien O 8o Passageiro. Tripulantes chegam em um planeta desconhecido, e se vem sendo aos poucos destruídos por uma espécie nova. Mas ao contrário de Alien, Prometheus não dá medo. Enquanto o 1o Alien dava medo pelo ambiente que era criado (usando jogo de sombras, sons do Alien) Prometheus se limita a sustos óbvios (o clássico olhe para a janela aos poucos quando algo bate no vidro, muito original).

A 1a parte do filme se sai muito bem. Lembrando muito o antalógico 2001:Uma Odisseia no Espaço, a abertura se desenvolve aos poucos e utilizando muito bem o 3d. Acompanhamos os afazeres do androide David (interpretado magnificamente por Michael Fassbender), assim o acompanhamos estudando linguas, se exercitando,andando de bicicleta, verificando os passageiros. Além de mostrar um fato curioso: O androide é fã de Lawrence na Arábia. Assim o vemos tentando imitar o jeito de falar de Peter O Toole, pintando o cabelo para que fique exatamente igual as belas mechas loiras de Lawrence. Linda cena.

Admito que este é o meu momento favorito de Promtheus. Pois é uma cena que o Ridley Scott dos anos 70 e 80 faria. Que não precisa explicar tudo que aparece na tela, como é o silencioso passeio pela Los Angeles futurista de Blade Runner. Não há nenhuma narração, e só vendo aquelas lindas imagens, apoiadas pela música magistral do Vangelis, nós sentimos e observamos o necessário. Não há uma explicação dizendo "Ah, você estava assistindo Lawrence da Arábia, David?"

Essas explicações surgem nos filmes porque o público americano não observa as sutilezas presentes em filmes, e querem tudo mastigado (o cinema é visto somente como diversão). Assim,muitos filmes inserem explicações pra fatos óbvios. E Prometheus infelizmente utiliza muito disso. Exemplo:Em determinada cena, Vickers(Charlize Theron) pede para David(Michael Gassbender) filmar o ambiente de uma caverna com seus olhos (ele é um androide e consegue isso). E David filma, até que encontra algo promissor e desliga a camera. Nisso Vickers emite a frase:"Filho da mãe....ele desligou."

Pelo amor de Deus:Nós vimos que a câmera desligou! Não é necessário explicar o que aconteceu!


Mas o problema principal do filme:Ridley Scott desde o inicio da divulgação do filme,o diretor dizia que Prometheus não era um novo filme Alien. E sim um filme que se passava no mesmo universo de Alien. Mesmo assim,os trailers e todo o material de divulgação nos diziam o contrário. Assim,todos foram esperando um filme Alien. Mas o filme se desenvolve e nada de Alien. Até ai tudo bem. Nesse ponto Prometheus pode até ser considerado ok. Se for visto como um filme de ficção cientifica é um filme aceitavel. Tem bons atores,uma metafora interessante,grande design de produção e efeitos bons. Mas quando o filme dá um fade out,e um fade in(escurece e ilumina de novo) há uma cena que estraga tudo. E faz Prometheus ruim(spoilers até o fim do parenteses:O Alien aparece sem razão alguma). Essa cena quebra tudo que Scott queria. E é um tapa na cara dos fãs.

Visualmente falando o filme é incrível. Quase como a adaptação dirigida por Zack Snyder de Watchmen(visualmente falando),só que para o universo Alien. Pequenos detalhes no fundo que fazem a diferença. Design que lembra  todos os filmes da série. O elenco do filme se esforça,e consegue um bom resultado. É claro que,com destaque maior para Michael Fassbender. O ator(que esteve muito bem em Shame,Bastardos Inglórios,Um Método Perigoso,X-Men 1a Classe) faz um androide maravilhosamente.

Os gestos simples,o sorriso sinistro,o tom de voz(que remete ao Hal 9000 de 2001:Uma Odisseia no Espaço) tudo é trabalho de pesquisa do ator. O seu personagem é quase que uma mistura de Hal 9000 e de Roy Batty de Blade Runner. Também são interessantes as referências que o filme faz ao 1o filme da série Alien. O elenco lembra a tripulação da Nostromo(nave do 1o Alien)fisicamente falando. Alem de ter elementos parecidos(a cena do aborto,sensacional).

O mais triste em Prometheus é que quando eu reassistir aos filmes da série Alien, não pensarei nele. Não porque seja ruim. Mas porque não acrescenta nada. E a decepção que veio com Prometheus desanima muito um nerd como eu. Mesmo assim,serei bonzinho. Darei duas notas pra Promtheus. Uma analisando como um filme de ficção cientifica comum. E a outra como aquele filme com toda a expectativa do mundo.
Resta a você leitor escolher qual é a que você daria.
Nota(Filme comum):7.0
Nota (expectativa):6,5