sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Critica:Procura-se Amy























Kevin Smith estava em uma situação difícil quando estava filmando Procura-se Amy.O filme antecessor,Mallrats (Barrados no Shopping aqui no Brasil) havia sido massacrado pelos críticos, e teve uma bilheteria muito morna. O que deixou Kevin Smith muito pra baixo, pois acreditem quando digo que o filme foi massacrado ("O filme é a prova viva de que cinema e Kevin Smith não combinam, e nem poderia ser chamado de filme, tamanha a estupidez" diz uma das criticas mais leves).

O problema de Mallratas era a expectativa que vinha em cima dele. Smith havia dirigido anteriormente O Balconista, filme que foi elogiado por todos os criticos. Somente isso explica a agressiva resposta a Mallrats. Pois o filme ao meu ver é um dos melhores trabalhos de Smith, e nem de longe é fraco.

Assim, quando finalizava Procura-se Amy  Smith sabia que com esse filme, calaria a boca dos infelizes que haviam criticado o subestimado Mallrats. Essa certeza vinha por decorrência de um elemento da produção. Não a fotografia, não as atuações. Mas o roteiro feito por Kevin Smith. Que mistura amor, quadrinhos, amizade e os anos 90.

E Smith estava certo: O filme foi um sucesso de crítica e público. Arrecadou uma ótima bilheteria, marcou Kevin Smith como um dos maiores realizadores dos anos 90 e ainda por cima calou a boca do crítico que escreveu aquela maldosa crítica.

Tudo isso por fazer um roteiro honesto sobre um cara imaturo, que se apaixona por uma amiga, que por acaso é lésbica.




















Procura-se Amy é uma das melhores produções sobre relacionamentos já feitas até hoje. Fica pau a pau com produções como Alta Fidelidade, 500 Dias com Ela, Scott Pilgrim (não reclame, é sim!). Mas ao contrário de todas as outras, é um pouco diferente. Por possuir um tom mais amargo do que o normal. Um tom até mesmo, mais realista.

Analisemos os personagens principais da trama.A começar pelo personagem principal Holden Mcneil (Ben Affleck). Co- roteirista e ilustrador de um quadrinho de sucesso chamado Bluntman e Chronic, feito em conjunto com seu melhor amigo. Ele acha que os dois são artistas sérios, e não deviam ficar felizes em ver o seu nome num quadrinho com piadas sobre sexo, palavrões, maconha e violência. Mesmo fazendo o absurdo sucesso que faz. Mas ao ser questionado do por que ele não faz um quadrinho que valha a pena, responde "Eu ainda não tenho nada pessoal para dizer".

É um cara muito confiante, apesar de não aparentar. Pois é alguém que não vê muita graça na vida, afinal nada até o momento apareceu que mereça sua devida atenção máxima. Nada que pra ele valha a pena. Até que aparece Alyssa (Joey Laurent Adams). Uma criadora de um quadrinho independente, que é muito bacana. Holden nota uma química na conversa que os dois tem. E,confiante acredita que irá conseguir a menina até o fim da noite. Mas, pra sua surpresa, ela é lésbica. E o problema principal: Ele está perdidamente apaixonado por ela.
Alem do fato de Alyssa possui um passado um tanto polêmico. Ele, sendo um cara imaturo não sabe lidar com aquilo. E não sabe se vale a pena ter algo com Alyssa.

Que por sua vez é uma criadora de um quadrinho independente, que acha Holden um cara interessante. E adorando ser sua amiga. É uma mulher que fez muitas coisas no passado, e que não se arrepende destas. Pois a fazem ser a pessoa que é hoje. Mas ao mesmo tempo, não se orgulha delas, e não as repetiria.É lésbica, mas ao mesmo tempo não acha que se apaixonar vale apenas pra um sexo especifico.

O que nos leva pro outro personagem principal da trama Banky Edwards (Jason Lee). O melhor amigo de Holden, é o co-roteirista e colorista de Bluntman e Chronic. Mas ao contrário do amigo, não se importa se o quadrinho não é artístico, e que não possua nada de pessoal dos dois. Só se importa com o fato de poder deixar os dois ricos (ao ser indagado por Holden se ele quer ser conhecido pelo resto da vida como o cara que inventou Bluntman e Chronic, Banky responde"Não,eu quero ser conhecido como o cara que ficou rico por Bluntman e Chronic"). É um cara que tem preconceito contra gays e lésbicas. E não aprova o relacionamento entre Holden e Alyssa. Não por egoismo, mas por se preocupar com o amigo. É um cara sem grandes ambições, além de escrever quadrinhos, jogar videogame com Holden e ser um consumidor assíduo de pornografia.


























Todos os personagens possuem uma coisa em comum: Todos eles são retratos de jovens da geração X. Uma geração caracterizada pelo tédio, e pelas desesperadas maneiras de tentar se livrar dele. E como o próprio Kevin Smith revelou depois,todos os personagens são facetas da sua personalidade. O que se analisarmos os outros filmes do diretor, faz muito sentido.

E todos eles devem lidar com um fato: Amadurecer. Desde Holden, até Hooper (Dwight Ewell).Um personagem coadjuvante que pode parecer estar lá só pra fazer ir. Pois é outro criador de quadrinhos, gay mas que porém se auto-promove uma ativista machão contra o racismo. Em determinada cena, Hooper está conversando com Holden com modos de falar que indicam sua opção sexual ('sister" por exemplo), mas quando aparece um garoto de 10 anos que lê seus quadrinhos ele não é maduro o suficiente pra mostrar seu verdadeiro eu pro fã. Pois é hipócrita o suficiente pra fingir ser outra pessoa, pra poder ganhar mais dinheiro.

Mas é claro, o maior amadurecimento que Procura-se Amy quer abordar é no amoroso. O subtitulo que aparecia nos posters, e trailers do filme mostram bem aonde o filme quer chegar ("Não é quem, mas como você ama").
























Mesmo sendo um filme sobre relacionamentos, e questões como crescer e (obviamente) amadurecer, Procura-se Amy é um filme muito engraçado. A partir das referências a quadrinhos que o filme traz. Acho que foi um dos 1os filmes, a mostrar um pouco a industria dos quadrinhos. Assim havendo diversas referências , capazes de deixar qualquer nerd apreciador de Hqs, muito satisfeito. Alem das referências a cultura pop em si.M tv,Star Wars, Archie Andrews são apenas alguns exemplos do que há em Procura-se Amy. Alem de muitas coisas que não são mencionadas,que estão apenas ilustrando o ambiente .Hellboy,The Wall, Batman, Sin City, Watchmen, Beavis e Butthead. Além de cenas que fazem homenagens a outros filmes, como na cena aonde Alyssa e Banky mostram suas cicatrizes de sexo (como em Tubarão).
Também há espaço para referências ao universo do filme, o ViewAskewniverse (baseado no nome da produtora View askew). Assim, sobram referências para o Balconista (a loja) e Mallrats (a menina que morreu quando estava nadando). Algo que ele faria em seus outros filmes.

O grande destaque cômico do filme é a palestra feita por Hooper, na convenção de quadrinhos, aonde ele explica o quão racista é Star Wars.
Mas é claro, as melhores cenas do filme não são as cômicas, mas as discussões sobre relacionamentos. Entre elas, a declaração que Holden faz a Alyssa (podemos ver claramente nessa cena que Kevin Smith é um mestre dos dialogos), a sequência em que Holden pede conselhos a seus dois amigos Jay e Silent Bob (na qual Silent Bob que geralmente nunca fala,conta a ele uma situação amorosa parecida com a de Holden,que é a explicação ao titulo). E é claro a cena final, simplesmente emocionante.

Procura-se Amy se mostra no fim como um dos roteiros mais originais lançados nos anos 90,e um dos mais bacanas filmes lançados naquele ano. E ainda conseguiu por Kevin Smith no topo, ou seja nós nerds temos que ser muito agradecidos a ele.

Alem de ser um dos poucos filmes que Ben Affleck atuou bem. O seu Holden é um personagem muito bem feito, e livre dos exageros que permeiam os personagens interpretados por Affleck ao longo de sua carreira. Joey Laurent Adams dá todo o carisma necessário pra que possamos compreender a paixão que Holden sente.Jason Lee é o destaque cômico do filme,com sequências que me fizeram chorar de rir. Destaque ainda pra Dwight Ewell,na sua atuação como Hooper.

Vale a pena assistir Procura-se Amy quem quer ver um filme romântico, quem quer rir num sábado a noite, quem quer ver um filme nerd (muito antes de Scott Pilgrim). Só posso falar uma coisa agora: Vá assistir a esse filme.
Nota:10